Como usar melhor nosso dinheiro?

dinheiro-papel-higienico
Destinando um valor maior pra aquilo que tem um uso mais intenso e menor pra com o que só é usado eventualmente.
“Só isso?” Só! Simples assim.
“Não, espera! Explica melhor, dá uma dica!”
Beleza, vamos lá!
Aí vai uma dica prática e fácil pra identificar o valor ideal pra gastar com algum item, que sempre vai ser adequado pra sua situação: Pense no valor dos produtos conforme o uso.
Vamos pegar dois exemplo extremos, um vestido de noiva e uma escova de dentes.
Um vestido de noiva varia muito de preço mas nunca é barato. Digamos que ele custa R$2000. Você só vai usar o vestido uma vez, então ele te custou R$2000 por uso.
A escova de dentes também varia muito de preço mas, em geral, é barata. Vamos chutar o balde e considerar que a escova custa R$10. O recomendado é que a escova de dentes seja trocada a cada 3 meses. Pra facilitar os cálculos, vamos considerar 3 meses de 30 dias, e que você usa a escova 3x ao dia, o que nos dá um total de 270 utilizações da escova no período de 3 meses. Pegue os R$10 e divida por 270: a escova de dentes vai te custar menos de 4 centavos por uso.
Deu pra entender a lógica? Esses exemplos, como eu falei, são extremos. Não dá pra abrir mão do vestido de noiva e nem gastar uma fortuna com a escova de dentes, mas ilustra bem quanto a gente gasta por uso nas coisas.
Sempre que você for comprar algum item, pense na frequência de uso real que ele vai ter pra você. Quem nunca viu aquele aparelho de ginástica na TV que parece ser super eficiente e te faz querer comprar pra ver se finalmente deixa o sedentarismo de lado, que atire a primeira pedra! Aí a gente compra e o bendito vira cabide. Por quê? Porque não adianta comprar aparelho de ginástica se a rotina de exercícios ainda não faz parte da nossa vida. O problema é que a gente só descobre isso depois que já gastou um valor de uns 4 dígitos de uma vez ou assumiu umas 60 parcelas.
O que é usado com muita frequência merece ter mais qualidade, não só pra que não quebre logo e a gente fique na mão, mas pra termos uma rotina com mais qualidade. Não estou dizendo que só o que é caro que é bom, porque isso não é verdade. Estou dizendo que coisas de qualidade não são super baratas, tem seu preço.
Colchão, celular, toalhas, produtos de higiene e limpeza, talheres, copos, pratos, TV, computador, wi-fi, cafeteira, roupas, calçados, geladeira, microondas etc… a gente usa essas coisas todos os dias! Imagine dormir mal, tomar um café que vem com restinho de pó, entortar o garfo na hora de cortar um bife, perder horas pra copiar algum arquivo ou não conseguir acessar a internet ou voltar com bolhas nos pés pra casa e você vai entender do que eu estou falando.
Vestidos e acessórios de festa, utensílios de cozinha específicos em uma realidade em que o dono da casa cozinha pouco, jogos, livros, DVDs, aquelas peças de roupa que você compra quando visita Campos do Jordão, só que você mora em São Paulo, onde tem as 4 estações no mesmo dia.
Se você usa algum item com uma frequência muito baixa ou se só vai usar uma vez, tem 3 opções:
  • Pechinche muito pra achar os menores preços;
  • Compre, use e venda depois;
  • Alugue em vez de comprar.
Gostou? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe aqui nos comentários!
Beijos!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s