ESCRITA AFETIVA

Meu 1º ano como mãe

Se você já leu o post Gravidez, parto e amamentação sabe o quanto minha filha foi planejada e esperada. Se não leu ainda, corra lá e leia!

Smash the cake celebrando o primeiro ano de vida da Luna!

Eu sofri um aborto espontâneo na primeira gestação e quando finalmente engravidamos novamente, meu marido e eu sentíamos um mix de medo e expectativas. Medo de perder o bebê novamente e muita expectativa pra dar certo dessa vez.

Mas, deu certo! Tão certo que no último mês de abril nossa pequena completou 1 aninho de vida e nós, 1 aninho como pais.

O primeiro ano do bebê é muito comentado, mas o que eu queria compartilhar com vocês hoje é exatamente a perspectiva do papai e da mamãe sobre esse período.

Um bebê muda tudo na cabeça da gente e não é uma mudança ruim e chata não, é boa. É uma mudança que nos faz colocar os pés no chão e resolver algumas pendências dentro de nós, afinal agora somos exemplos pra formação de outro ser humano.

No primeiro dia, quando chegamos com a nossa filha em casa, foi tipo “e agora?” (risos), porque no hospital a gente fica super confortável, tem enfermeiras dando banho no bebê, trazendo pra mamar, te dando dicas e levando o bebê pro berçário pra mamãe poder descansar e se recuperar do parto. Em casa a brincadeira é diferente! Nós não morávamos perto de nenhuma das avós e não tínhamos babá, era papai e mamãe e só. Mas nós escolhemos assim, então desde a gravidez nos preparamos pra isso.

Foi tranquilo, nos acostumamos bem e honestamente, cuidar do bebê é fichinha, o que mata mesmo é ficar sem dormir. Ah, isso é sofrido! E foi assim até os 3 meses de vida dela. Não dormimos mais que 3 horas seguidas nenhuma vez por 3 meses.

Depois dos 3 meses o soninho dela começou a se acertar durante a noite, ela dormia períodos maiores e nós descansávamos mais.

Com cerca de 4 meses ela começou a sentar apoiada nas coisas, com 6 começou a comer frutinhas e rolar na cama e com uns 7 ou 8 sentava sozinha. E nós, bobos com cada evolução! É incrível como quando você vê os bebês dos outros começando a sentar, rolar e comer sozinhos parece ser uma coisa banal, mas quando é o seu bebê, tudo é uma festa!

“Olha, olha ela sentou sozinha!”

“Olha só ela rolou na cama sem ajuda!!”

“Meu Deus! Ela conseguiu pegar o brinquedinho nas mãos sem a gente ajudar!”

Eu já chorei de alegria ao levar ela pra ver a primeira decoração de natal, já comemorei ao abrir a fralda e ver que tinha cocô, já cantei e dancei que nem uma maluca pra ela a musiquinha da Casa do Mickey Mouse e já apertei e mordi cada gordurinha só pra ouvir aquela gargalhada gostosa!

Nosso primeiro ano com a Luna foi uma dádiva. Meu marido e eu tivemos a chance de passar o primeiro ano inteiro com ela, sem trabalhar fora, presenciando e acompanhando cada parte do seu desenvolvimento. Vimos quase todas as “primeiras vezes” pessoalmente e isso não tem preço! Como ficamos em casa, ela ainda não foi pra escolinha.

Agradeço muito por termos tido isso, por todo amor da família e amigos com a gente e com a nossa filha e agora, uma nova fase começou! Ela ta quase andando sozinha e acho que o 2º ano vai vir com muitos relatos de coisas quebradas, bagunças e descobertas!

Ah, e uma coisa interessante de se falar é que por mais que a gente queira, nós nunca somos os únicos a se envolver na criação dos filhos…mas isso a gente fala em outro post!

Me conta aqui nos comentários: você que é pai ou mãe e está lendo esse texto, também ficou babando na sua cria de um jeito que ninguém mais fazia?

Um comentário em “Meu 1º ano como mãe”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s