E aí pessoa que tá do outro lado da tela, tudo bem?

Hoje é dia de a gente desvendar de uma vez por todas o que são as técnicas conhecidas como NO-POO e LOW-POO.

Eu bati um papo com a nossa especialista em cachos, a Camila Carvalho, que está sendo uma super consultora em toda essa série para cabelos cacheados e ela me contou tudinho sobre essas técnicas: qual a diferença entre elas, como escolher entre as duas e porque deixar de usar a forma convencional de lavar os cabelos.

Se você chegou agora aqui no blog, preciso te contar 2 coisas: primeiro, esse post faz parte de uma série então, quando acabar de ler, leia os demais também porque o assunto se complementa. E segundo, que, para escrever essa série de postagens, eu contei com a ajuda da querida Camila Carvalho, uma especialista em cachos e a única pessoa que cuida do meu cabelo há alguns anos. O Instagram da Cá é cheio de dicas para cuidar dos cabelos cacheados, então, se você gosta desse assunto, acompanhe ela por lá @cobkami.

Então, vamos começar pelas 2 adaptações básicas que você vai notar nos cuidados com os cabelos que vão acontecer tanto com o LOW-POO quanto com o NO-POO.

Esse sufixo POO que existe no nome das duas técnicas – LOW-POO e NO-POO – é referente a shampoo. Ou seja, a primeira mudança que você vai notar ao aderir a uma dessas duas técnicas é na etapa de lavagem dos cabelos.

A segunda mudança que você vai notar ao aderir ao Low ou ao No, é na composição dos produtos que você vai usar nos cabelos, ou seja, o rótulo dos produtos vai virar seu melhor amigo no início porque algumas substâncias são proibidas em cada técnica.

Mas antes de a gente começar a se aprofundar em como essas 2 adaptações vão funcionar na prática, tem uma coisa importante que a gente precisa recapitular.

No primeiro post dessa série sobre cachos eu contei pra vocês que os cabelos cacheados precisam de cuidados diferentes dos cabelos lisos exatamente por causa do formato dos fios. Como assim? Nosso couro cabeludo produz uma oleosidade natural para levar a hidratação e os nutrientes até as pontas dos cabelos. Nos cabelos lisos, essa oleosidade “escorre” com mais facilidade. Já nos cabelos cacheados, essa oleosidade tem mais dificuldade em percorrer todo o comprimento dos fios até as pontas, então, quanto mais fechado o cacho, mais seco o cabelo vai ser.

Agora, que a gente relembrou essa necessidade específica dos cabelos cacheados, a explicação das técnicas LOW-POO e NO-POO vai fazer mais sentido, olha só.

Um shampoo convencional tem uma grande quantidade de uma substância altamente limpante, o SULFATO. Mas, estudando os cabelos cacheados descobriu-se que o tal do sulfato limpa muito profundamente, tanto o couro cabeludo quanto os fios, removendo junto com a sujeira a oleosidade natural. Os fios acabam ficando ressecados e o nosso organismo entende que precisa produzir mais oleosidade pra repor o que está sendo removido do couro cabeludo e dar conta do recado.

Conclusão: couro cabeludo com a oleosidade desregulada e a pessoa que é a dona desse cabelo gastando dinheiro a toa com produtos para tratar tanto o ressecamento dos fios quanto a oleosidade excessiva da raiz.

Percebe como apenas fazer a lavagem dos cabelos com produtos menos agressivos resolveria todo o problema e traria mais equilíbrio entre os cuidados com o couro cabeludo e os fios?

Então, só preciso me preocupar com o SULFATO no SHAMPOO e tá tudo certo, né Mila?

NOOOOPS!

Vamos construir um raciocínio juntas aqui. Pra quê uma substância tão forte pra limpar os cabelos? Não é só pra remover suor e poluição dos fios mas, também, pra conseguir remover a química presente nos demais produtos que a gente aplica nos cabelos. Então, se você vai abolir o uso dos sulfatos fortes para, então, começar a fazer uma limpeza mais leve que respeita a oleosidade natural que seu corpo produz através do couro cabeludo, seu novo produto de limpeza dos cabelos não vai ser suficiente para remover a tonelada de químicas mais fortes dos outros produtos. Você vai precisar pegar leve na composição de tudo o que você for passar nos cabelos além do shampoo.

Vamos continuar na construção do nosso raciocínio. O que é prejudicial para os cabelos é o sulfato forte. Se vamos eliminar o sulfato forte e, por consequência, as substâncias que só são devidamente removidas se a gente usar ele, vamos precisar remover também essas tais substâncias de todos os produtos que a gente for aplicar nos cabelos e é por isso que a lista do que é proibido na composição dos produtos para os cabelos das 2 técnicas tem, além dos sulfatos fortes, os parabenos, os petrolatos e alguns silicones.

Tá fazendo sentido?

Agora, lembra quando eu expliquei no post sobre os cuidados básicos qual a melhor forma de fazer a lavagem, o condicionamento e a finalização dos fios? Essas etapas vão acontecer do mesmo jeito. Só o que vai mudar é o produto que você vai escolher para fazer essas etapas.

Mas então qual a diferença entre NO-POO E LOW-POO e como eu escolho qual das duas técnicas é melhor pra mim, Mila?

Bom, POO você já sabe que é referente a shampoo. NO quer dizer SEM. LOW quer dizer POUCO. Então:

  • NO-POO = Sem shampoo. A limpeza dos cabelos é feita com um tipo de produto que nós vamos chamar de CO-WASH.
  • LOW-POO = Pouco shampoo. A limpeza dos cabelos é feita com um shampoo que é liberado para a técnica, por não conter na sua composição determinadas substâncias.

Agora, como escolher a melhor técnica pra você?

Se você tem a raiz com oleosidade excessiva e percebe que precisa lavar os cabelos todos os dias ou no máximo dia-sim-dia-não senão eles começam a coçar e/ou você sente a oleosidade excessiva quando toca, provavelmente a melhor técnica pra você é o LOW-POO.

Agora, se seus cabelos são bem secos e você consegue ficar dias sem lavar, quase uma semana até, provavelmente a melhor técnica para você é o NO-POO.

E porque esse PROVAVELMENTE aí? Porque as duas definições acima vão ser um guia para você COMEÇAR. Depois que você estiver usando a técnica que você escolheu é que vai sentir se ela é a mais adequada pra você.

Eu, por exemplo, comecei direto com o NO-POO e não funcionou pra mim. Até aumentei a frequência de lavagem dos cabelos para ver se era esse o problema, mas não era. Meus cabelos apenas eram muito oleosos e precisavam de um shampoo na hora da lavagem. Eu troquei para a técnica LOW-POO e agora, sim, a oleosidade está regulada e sinto os cabelos limpos na raiz e os fios hidratados, mesmo lavando apenas a cada 3 dias.

E como você pode começar a usar as técnicas?

Bom, a primeira coisa é verificar se os produtos que você tem na sua casa são ou não liberados para a técnica que você escolheu – NO-POO ou LOW-POO – e, se não forem, começar a fazer a substituição pelos produtos liberados.

Mas nada de desperdício, combinado? Use os produtos que você tem até acabarem ou doe para alguém.

DICA DE OURO: agora que a técnica está mais popular, está mais fácil encontrar produtos com a palavra LIBERADO logo da frente do rótulo! Você não vai precisar virar especialista em rótulos logo de cara 😉

Esse kit eu montei há cerca de 3 meses e ainda não acabou. Lembro que o mais caro foi a máscara, que custou por volta de 18 reais. Observar a frequência de lavagem necessária para o seu cabelo e utilizar a quantidade adequada, que eu contei pra vocês nesse post aqui, também vai te fazer economizar!

E se você gostou da ideia e quer começar a aplicar o LOW-POO ou o NO-POO nos seus cabelos, semana que vem tem um guia para que você comece da forma correta e uma listinha de shampoos, co-washs, condicionadores, finalizadores e máscaras para você montar seu próprio kit de cuidados com os cabelos.

Abraços e até semana que vem 😘