Se você associa desapego com sofrimento, vou mudar sua mentalidade hoje e te fazer ficar empolgada pra começar a se desafazer das coisas.

Segue meu raciocínio.

Nós, seres humanos, passamos grande parte da nossa existência produzindo nosso próprio alimento, nossas próprias roupas, nosso próprio estilo de vida, tudo com as nossas próprias mãos.

Então, caso uma praga de gafanhotos atacasse a plantação de trigo de uma família que viveu a centenas de anos atrás, essa família provavelmente passaria fome.

Se alguma doença atacasse as vacas, porcos e galinhas que essa família criava, novamente haveria fome.

Se uma doença atingisse os membros da família, haveria grandes chances da família diminuir.

Não existiam supermercados para comprar mais trigo – muito menos farinha pronta e ensacada – e carne, cada vez que esses itens acabassem por algum motivo. Também não existiam hospitais para cuidar da família em caso de doença nem farmácias para comprar medicamentos.

Por isso, a gente viveu muito tempo com uma mentalidade de escassez, afinal, se a gente não estocasse tudo o que produzia e adquiria, corríamos um risco real de ficar sem e sofrer muito com isso.

Mas a nossa forma de produzir o que é necessário para sobreviver mudou. Aliás, a gente começou a produzir bem mais que o necessário.

Nós fomos além da sobrevivência e chegamos no luxo. Hoje em dia existem tantos itens de consumo à nossa disposição e para tantos propósitos diferentes que a gente nem sabe direito distinguir a necessidade do luxo.

Mas com uma quantidade grande de posses, vem um preço: a necessidade de adquirir mais coisas apenas para manter nossas posses e de reservar um período de tempo para cuidar dessas posses.

Pense comigo: se você tem uma casa, não tem apenas quatro paredes e um teto. Essa casa está equipada com móveis, eletrodomésticos, roupas e os mais diversos acessórios, certo?

Isso significa que você precisa dedicar tempo para limpar, arrumar, organizar e cuidar de tudo o que tem. Também significa que você precisa pagar por água encanada, energia elétrica, produtos de limpeza e utensílios para tornar essas tarefas possíveis de seres executadas.

Tá entendendo onde eu quero chegar?

Quando a gente diz que não tem tempo para o que realmente ama, na verdade estamos dizendo que nosso tempo está sendo ocupado com outras coisas.

Pra fazer aparecer o tempo que queremos para o que amamos, poderíamos simplesmente diminuir a quantidade de coisas que temos para cuidar.

Fez sentido isso pra você?

Desapegar não é sobre ficar sem. É sobre eliminar distrações e excessos que estão tomando o tempo de outra coisa que é mais importante para nós.

Desapegar é eliminar pontos de estresse na nossa vida.

Se eu já te convenci mas você tem dificuldades na hora de colocar a mão na massa e separar o importante do excesso, clique aqui pra ler o post que eu escrevi sobre o método de desapego que eu uso com as minhas alunas e clientes. Tenho certeza que ele vai te ajudar.

Até semana que vem, mulher!