Organizando fotos digitais

Um novo ano está começando e isso significa que acabamos de passar por uma das épocas que mais rendem fotos e vídeos. É registro da ceia, da família reunida, de cada passeio e viagem feitos nesse período, da galera reunida na virada…enfim, na era digital em que estamos tudo rende muita foto.

E nesse clima de início de ano, o que acham de começar com alguma dicas pra organizar todas essas fotos e vídeos digitais?

1ª dica

Descarregue as fotos do seu celular ou câmera pra o computador assim que voltar de cada evento em que você fez registros. Assim a gente libera espaço pra que o aparelho não fique lento e é mais fácil ter controle na hora da organização.

2ª dica

Classifique as fotos por data e lugar onde foram tiradas. Eu já tentei separar por “Fotos das dogs”, “fotos na praia” e afins e dava um trabalho danado ficar classificando cada foto tirada pra saber pra qual pasta ia. E, no fim das contas, na hora de procurar a tal foto eu não conseguia rastrear.

Isso porque nosso cérebro memoriza melhor fazendo associações.

Se você der uma data e um nome para a pasta como “2016-12-25 – Natal”, quando você quiser aquela selfie linda que tirou no natal, vai intuitivamente bater o olho nessa pasta e saber que a foto está lá. Facilita trabalhar a favor da nossa cabeça!

Ah, e só uma coisa: Eu coloco a data começando pelo ano pra que as pastas fiquem na sequência cronológica certa!

Esse é um pedacinho da organização das minhas pastas!

3ª dica

Apague todas as fotos embaçadas, tremidas, cortadas e mal iluminadas e mantenha apenas as favorita. Não brigue comigo por essa dica, mas fazer isso economiza muitos megabytes de armazenamento e garante que todas as fotos que você salvou são as melhores.

4ª e última dica

E, por último, uma dica testada e aprovada: armazene suas fotos na nuvem.

Antes, colocava tudo num HD externo e depois que quase perdi tudo por um mal contato no cabo USB, fiquei com medo e joguei na nuvem. Estou gostando bastante, principalmente de poder acessar as fotos de qualquer lugar que estiver.

Agora, pra você que já tem muitas e muitas fotos armazenadas de forma desorganizada e quer organizar tudo, vou deixar uma lista de tarefas pra te ajudar a fazer isso.

1 – comece pelo que já está feito

Se tem alguma pasta com fotos que você sabe onde foram tiradas e que são do mesmo evento, olhe as propriedades de uma das fotos pra descobrir a data desse evento e já renomeie essa pasta!

2 – faça uma limpa em todas as suas pastas sem dó, conforme a 3ª dica lá de cima

3 – se não descobrir a data certa de alguma das fotos ou conjunto de fotos, não se preocupe

Tente lembrar pelo menos o ano, ou alguma palavra chave que te faça reconhecer facilmente o conteúdo dessa pasta!

4 – faça um pouquinho por dia, esse processo pode levar algum tempo para ser terminado

Essas foram as minhas dicas pra organizar as fotos digitais. Você tem algum segredo pra ajudar nessa organização? Me conta aqui embaixo!

Organizando a mala de viagem

O final do ano chegou minha gente! Essa época gostosa de comemoração e reunião da família em que geralmente alguém tem que colocar o pé na estrada, né? Pois bem, se esse ano quem vai fazer isso é você, tenho umas dicas bacanas pra ajudar a colocar tudo o que você precisa na mala e, principalmente, encontrar tudo o que você levou e não deixar de usar nada porque o item se perdeu na mala ou aconteceu um acidente com os produtos de higiene que deixou todas as suas roupas melecadas de shampoo antes de chegar ao destino!

Eu uso todas as dicas que vou compartilhar com vocês quando vou montar minha mala então elas são testadas e aprovadas. Uma regra geral é: categorize sua mala. Nada de ir jogando tudo lá dentro aleatoriamente e precisar tirar várias peças, que já estão amassadas, pra encontrar alguma coisa que ficou jogada no fundo.

Como?

Aí vai:

Use suas necessaires

Antes de aprender essa dica eu costumava usar as necessaires somente pra itens de higiene ou bijus, nunca pra roupas mas, não é que funciona?

Quando ganhei minha filha e montei a mala da maternidade, separei as calcinhas e sutiãs de pós parto todos numa necessaire e os itens de higiene em outra. Na hora do banho, quando precisava que meu marido trouxesse as coisas pra mim, só pedia “Amor, me traz a necessaire bege e a rosa!” e pronto, estava tudo ali separadinho. Facilitava pra mim e pra ele. Então use e abuse das necessaires paradas no armário na hora de montar a mala!

Olha só alguns exemplos do que você pode colocar nelas:

  • calcinhas e sutiãs;
  • biquínis;
  • Itens de banho;
  • Itens de higiene que não são usados no banho como hidratantes pra o corpo e pra o rosto, protetor solar, desodorante, perfume;
  • Remédios;
  • Bijuterias;
  • Elásticos de cabelo, presilhas, pente, escova;
  • Cabos e carregadores do celular, da máquina fotográfica, de tablet, de notebook, fones de ouvido;
necessaires
Amo necessaires!

Tenha um saco para as roupas sujas

Na hora de montar a mala, coloque esse saco por cima de tudo. Logo que chegar ao seu destino, tire esse saco da mala e vá colocando todas as roupas sujas nele, conforme forem sujando. Na hora de ir embora, é só fechar o saco e colocar na mala. Se você ficar hospedado em hotel, pendure esse saco na porta do banheiro. Se estiver sendo recebido na casa de alguém, deixe bem acessível junto com as suas malas.

saco-lavanderia

Além das necessaires, existem os organizadores de mala, já ouviu falar?

Para as roupas e sapatos existem organizadores de mala pra separar os itens da forma que você preferir. É muito melhor pegar um saco com tudo separado do que se perder em itens soltos na mala. Eu uso tanto as necessaires quanto os organizadores de mala de viagem, de acordo com o item que quero categorizar.

Você fará muitas compras nessa viagem?

Compras a gente sempre faz né, mas pensar no quanto e no quê vai comprar também te ajuda na hora de montar a mala. Se você pretende comprar roupas lá, leve o mínimo possível daqui. Lembre-se que se você estiver viajando de avião, paga pelo excesso de bagagem, então se na ida estiver ocupando menos de 50% do interior da sua mala, vai aumentar as chances de poder voltar com ela lotada sem pagar a mais por isso!

Na mesma linha de raciocínio acima, considere se você pretende comprar uma mala quando chegar ao seu destino.

Comprar somente pra dar conta da quantidade de itens a serem trazidos e depois deixar uma das malas que você tem ocupando espaço no armário, sem uso, é um erro que eu mesma já cometi, então agora, se sei que farei muitas compras já levo isso em consideração. Se estou satisfeita com a qualidade e quantidade das malas que já tenho, levo uma bolsa grande ou uma mala menor dentro de outra mala maior, poucos itens de uso pessoal, e então não preciso comprar outra pra acomodar todas as compras.

Quem já teve um acidente com uma embalagem de qualquer líquido na mala levanta a mão!

Eu levanto as duas! Foi aí que aprendi uma dica muito bacana: abrir as embalagens, colocar um pedaço de plástico filme e fechar novamente. Isso impede que os líquidos vazem independente do sistema de abertura do frasco.

  • Mais algumas considerações importantes:
    • Tem algum item que você vai levar que precisa de benjamim pra ir pra tomada na sua casa? Considere levar o benjamim na viagem também;
    • Vai precisar lavar biquínis ou roupas íntimas no chuveiro? Considere levar um frasco com sabão;
    • Está viajando com bebês ou crianças pequenas? Considere levar um frasco com detergente e as escovas específicas para lavar as mamadeiras, copinhos, pratinhos e demais itens de alimentação na pia do banheiro do hotel;
    • Vai viajar de avião? Existe uma opção pra embalar sua mala e evitar danos no exterior dela. Envolva sua mala com plástico filme na ida e leve um rolo na mala para embalar na volta. Já fiz isso e funcionou muito bem, além de ser bem mais em conta do que embalar no aeroporto.
    • A viagem vai ser longa? Não se esqueça de carregar todos os seus itens eletrônicos na noite anterior, inclusive o carregador portátil, caso você tenha. Eu tenho e ajuda bastante a não ficar sem bateria quando a viagem vai ter muitas horas de duração.

Ter a mala de viagem organizada ajuda demais a não perder tempo nem na montagem da mala nem na hora de usar as coisas no seu destino. Na volta, também agiliza pra desfazer a mala porque você sabe de cara quais roupas vão pra máquina de lavar e quais vão pra gaveta, por exemplo.

Essas foram as dicas que eu uso. Compartilhem com todos que você sabe que vão viajar nesse final de ano e me conta aqui embaixo se você tem alguma dica que funciona super pra você!

Livros físicos ou livros digitais?

Você gosta de ler?

Eu gosto muito de ler, muito mesmo.

Durante um bom tempo aproveitei o percurso entre casa e trabalho e casa e faculdade e li uma série de livros em um curto espaço de tempo mas, de repente, não lia mais. Não sei se foi o cansaço, a quantidade de atividades que eu fazia na época ou qualquer que fosse o motivo, mas uma das minhas desculpas era que os livros ocupavam muito espaço na bolsa, acabavam estragando ou amassando e então não dava pra carregar um livro comigo.

Mentira, estava com preguiça mesmo.

Então conheci a opção dos livros digitais e, a princípio, tive um pouco de preconceito com isso porque, embora eu tivesse parado de ler com tanta frequência, ainda era uma coisa que eu gostava e a sensação de pegar o livro na mão, sentir o cheiro de livro novo tão apreciado pelos amantes da leitura, ter coleções de marca páginas e tudo o mais eram coisas que eu não abria mão.

Apesar de tudo isso, achei muito legal a ideia de ter todo conteúdo dos livros num dispositivo único, leve, compacto e que eu pudesse levar pra todo lugar, dando um fim na minha desculpa pra ter parado de ler.

Mas então, qual é melhor: livros físicos ou livros digitais?

Discussão sobre o assunto é o que não falta! Uns são fãs de ter o livro na mão, outros da praticidade dos livros digitais, mas o que eu percebi com a minha experiência com os dois tipos foi o seguinte: ter os dois é a melhor forma de garantir que você sempre terá algo pra ler.

Eu sou o tipo de pessoa que lê o mesmo livro mais de uma vez e se você é como eu, ter o livro na prateleira e na palma da mão, é show!

Afinal, o que a gente gosta é de ler, certo?

Ter um não significa abolir o outro. Alguns livros não tem E-book, outros são queridinhos ou são sagas e eu faço questão de ter a coleção na prateleira, e pra os favoritos, eu gosto de ter as duas versões e de poder ter sempre à mão no formato digital pra quando eu quiser ler de novo.

Na hora de viajar é que a ideia do e-book é maravilhosa pra mim. Já passei pela situação de estar no fim de um livro de uma saga e ter que levar a leitura atual e a próxima pra viagem, carregando um peso e um volume na bagagem que a gente sabe que faz diferença na hora de montar a mala da ida e de encaixar todas as compras da viagem na mala da volta. Se você pode, minha dica é: tenha os dois e aproveite os benefícios dos dois!

Eu tenho o Kindle instalado no Ipad e pra quem já usa esse aplicativo uma dica bem bacana é contratar o Kindle Unlimited, que nada mais é que um Netflix de livros. Atualmente, custa R$19,90 por mês, e você tem a sua disposição até 10 livros pra ler da sua escolha. Quando quiser “alugar” outro livro, devolve um deles e pega o outro.

É muito legal pra quando a gente está descobrindo livros novos que ainda não sabe se vai gostar ou não da leitura por que é como se você pudesse fazer um teste drive nos livros sem comprar. Tem um acervo bem legal a disposição e se você é um amante da leitura como eu, super indico o Kindle Unlimited.

Gostaram das dicas? Como funciona pra vocês? Me conta nos comentários!

E se gostou da ideia do Kindle Unlimited, clique aqui para saber mais sobre ele.

Adeus dia da faxina!

Tirar um dia inteiro pra limpar a casa é uma coisa difícil.

Pra quem tem uma semana lotada, cada minuto de folga conta muito! Mas, tendo ou não a semana lotada, os finais de semana e feriados são um tempo valioso que a gente quer aproveitar pra fazer o que a gente quer e ter que abdicar desse dia por que a casa está de ponta cabeça provoca uma pontinha de tristeza.

Além disso, se a faxina é feita no sábado, conforme o próximo sábado se aproxima a gente já está vivendo na bagunça e sujeira.

Existe um sistema americano de limpeza e organização chamado FlyLady. Esse sistema é bem amplo e tem vários ensinamentos, mas um em particular me chamou muita atenção e eu quero compartilhar com vocês como eu adaptei ele pra minha vida.

O objetivo é dividir as tarefas pra que a gente faça um pouco a cada dia, e no final de cada mês, termos limpado cada cantinho da casa.

A princípio, me pareceu muito trabalhoso, mas quando comecei a aplicar o sistema em casa, percebi que era muito eficiente e não demoraria tanto assim.

Vou falar ao mesmo tempo como funciona e como eu faço:

Todos os dias vamos separar 15 minutos, ajustados num timer, e fazer as coisas do dia a dia, como lavar a louça, guardar os itens que estão fora do lugar, passar uma escovinha no vaso sanitário, arrumar a cama, lavar, estender ou dobrar as roupas, enfim, analise a sua casa e a sua rotina pra identificar o que é importante e viável ser feito todos os dias pra manter a casa funcionando bem.

Ajuste o timer e faça!

Quando o timer apitar, acabou! O que não foi feito vai ficar pra amanhã. A ideia do timer é criar um senso de urgência e foco pra que a gente não gaste muito tempo com a rotina de limpeza. Feito isso, o caminho estará livre pra qualquer limpeza mais pesada.

Separe tudo o que precisa ser feito na sua casa por tarefas.

Por exemplo: limpar o micro-ondas, limpar as janelas, passar lustra móveis nas superfícies, engraxar sapatos de couro, organizar o guarda-roupas…percebe que os itens não são somente sobre faxina? Essa lista vai levar algum tempo pra ficar redondinha, pra mim levou meses.

Comece com o que vem a sua cabeça no momento, e vá acrescentando itens conforme for fazendo e conforme for lembrando. É importante lembrar que essa lista não é engessada nem fixa pra sempre. Nossa vida muda e, consequentemente, as tarefas mudam. Lembre-se que sua lista é flexível, ela vai se adaptando à nossa vida, então coloque nela o que faz sentido nesse período que você está vivendo.

Depois dessa separação inicial, agrupe as tarefas de forma que você leve de 15 a 30 minutos pra concluir os grupos de tarefas. Se alguma tarefa sozinha já leva esse tempo, deixe ela sozinha mesmo.

Separe o que precisa ser feito uma vez por semana, o que precisa ser feito uma vez por mês, uma vez a cada dois ou seis meses. Exemplo da minha rotina: eu troco os lençóis, toalhas e capas de almofada uma vez na semana, passo aspirador e mop na casa de uma forma bem minuciosa uma vez no mês, lavo as cortinas a cada seis meses. Veja o que funciona na sua casa!

Agrupe o que você vai fazer em cada semana por tipo de tarefa ou por cômodo da casa. Exemplo: limpar as superfícies dos móveis, dividindo todos os móveis da casa pelo decorrer da semana ou limpar um cômodo inteiro dividindo cada parte dele pelo decorrer da semana. Faça o que funcionar melhor pra você.

Na minha casa, atualmente, divido por cômodos.

Separe os produtos e utensílios de limpeza de forma que fiquem acessíveis e agrupados. Na minha casa, tenho um balde como o da imagem abaixo e coloco nele tudo o que uso todos os dias na limpeza, como espanador, produto pra limpar superfícies, luvas de borracha, saco de lixo…quando vou fazer a limpeza diária, pego esse balde e saio pela casa fazendo as coisas, sem ter que ficar voltando na lavanderia toda hora. Isso otimiza o tempo!

Envolva quem mora com você nessa rotina. Não force, nem brigue, mas envolva!

“Se todos fizermos juntos, vamos ter tudo sempre limpo e em ordem gastando só 15 minutos por dia!”

Todo mundo sempre tem aquele pedacinho que ta precisando de mais atenção. Se enquanto você limpa o banheiro, por exemplo, outra pessoa está organizando a escrivaninha do quarto dela e outra está engraxando os próprios sapatos, em 15 minutos todo mundo vai ter algo mais limpo e organizado.

Nos finais de semana, tire folga da limpeza pesada! Faça somente a rotina do dia a dia.
Por fim, ajuste o timer, coloque uma música animada, e faça!

Esse sistema traz benefícios muito legais. Primeiro, você não vai mais precisar separar um dia pra limpar a casa toda. Segundo, você vai ter uma casa sempre em ordem, sem precisar correr pra “dar uma limpada” quando uma visita está chegando. E terceiro, que pra mim é o melhor, quando você passar o dia fora, ficar doente ou simplesmente sentir que precisa descansar naquele dia, não vai fazer diferença, afinal, você veio trabalhando na limpeza e organização da sua casa todos os dias!

Em pouco tempo isso vai virar um hábito e a casa vai estar sempre limpa e organizada.

É isso gente! Espero ter ajudado. Qualquer dúvida ou sugestão, deixa aqui nos comentários!

Uma das melhores ferramentas para uma vida mais organizada – o Evernote

É um programa? Uma nuvem? Um bloco de notas? Um app? Nem sei definir direito porque a verdade é que o Evernote se comporta como tudo isso.

Nele é possível salvar suas anotações e, o que mais me chamou atenção, seus arquivos.

Você pode anexar qualquer formato de arquivo, seja imagem, vídeo, áudio, texto, pdf…enfim, pode salvar toda a sua vida num local protegido por senha e ter acesso a tudo isso onde você estiver. 

Ele é um sistema que tem plataformas tanto pra celular quanto para tablet e computador, além de poder ser acessado online. Você abre uma conta com login e senha e já pode começar a utilizar.

Imagine nunca mais ter que ir pra casa buscar um documento que faltou para concluir um cadastro em algum lugar, afinal, está tudo salvo e bem organizado em um aplicativo que pode ser acessado diretamente no seu celular. Imagine poder enviar por email suas informações mais relevantes na hora em que são solicitadas ao invés de ter que ir para casa vasculhar dentre centenas de papéis e pastas aquilo que você procura e ainda ter que pagar para tirar uma cópia dessa informação.

Isso é o que o Evernote te proporciona.

O sistema de utilização do Evernote é um pouco diferente do sistema de pastas e arquivos que nós estamos acostumados a usar, então no começo a gente estranha um pouco. Mas não desista tão rápido porque aprender a usar esse sistema novo é muito simples e vale a pena o esforço. A carinha do Evernote é parecida com uma página de emails e, aliás, você também pode encaminhar emails e deixar salvo no Evernote, caso receba alguma coisa que ache importante armazenar.

Para de dar uma visão geral dessa diferença na utilização do Evernote, vou fazer um comparativo com o sistema que a gente já conhece, o de pastas e arquivos no computador.

No aplicativo do elefantino, ao invés de pastas ou arquivos, existem as NOTAS. Nada que é colocado no Evernote fica solto em qualquer lugar. Cada anexo ou anotação de texto existe dentro de uma nota. Na hora de organizar suas informações no computador, você joga seus arquivos em pastas e, depois, pastas dentro de pastas, certo? Dentro do Evernote, para organizar suas notas, existem os cadernos e etiquetas, que podem ser usados em conjunto ou que você pode escolher de qual das duas gosta mais e adotar apenas uma.

pagina-inicial-evernote
Essa é a cara do Evernote pra PC

“Nossa Mila, não entendi nada. Muito confuso! Acho que não vou me adaptar.”

Eu sei, pra mim também foi assim na primeira vez que li sobre o Evernote. Mas acredite, vale a pena se familiarizar com tudo isso e aprender a usar essa ferramenta. Desde que eu comecei a utilizar, ele faz parte da minha rotina, e eu não vivo mais sem ele.

Agora, se você está pensando em adquirir o Evernote, já deve estar se perguntando quanto custa essa brincadeira.

Então, vale dizer aqui que existe a versão gratuita e a versão Premium do Evernote, ou seja, a versão paga, mas que para quem está começando agora a usar, a versão gratuita já atende muito bem.

O Evernote é uma ferramenta muito ampla, que daria assunto pra vários posts e que está em constante atualização para melhorar a experiência do usuário. Então, acesse o site do Evernote, crie uma conta, baixe no seu smartphone, PC e comece a fuçar. Aí me conta o que você está achando aqui nos comentários.

Existe muito material disponível e mais aprofundado sobre o Evernote, não é difícil de encontrar. Mas caso vocês tenham gostado desse post, conta pra mim. Quem sabe a gente faz uma série de post sobre esse programinha pelo qual eu sou apaixonada e uso intensamente.

Quer dar o primeiro passo para organizar de vez sua vida digital? Clique no link abaixo e entre para o time Evernote!

Cadastre-se no Evernote

O que é e como usar um coletor menstrual

Vamos falar dela, a indesejável, aquela que atrapalha as idas à praia ou piscina, a intrometida que quer decidir que cor de roupa você tem que usar, a irritante que só te deixa dormir na posição que ela quer…

A menstruação.

Pois é, ela é chata e eu pessoalmente detesto ela, embora eu conheça pessoas que não ligam muito pra esse período do mês. Vim aqui te dar uma dica bem bacana, que funcionou muito bem pra mim e espero que também funcione pra você. É sobre o uso do coletor menstrual.

O coletor menstrual é um copinho feito em silicone medicinal, que você usa como se fosse um absorvente interno. Ele higiênico e fácil de colocar, e como eu uso, resolvi te contar alguns benefícios e dar algumas dicas sobre ele, caso você esteja pensando em adquirir um.

Vamos lá!

Material e especificações

Recapitulando, ele é feito de silicone medicinal, o que não promove a proliferação de bactérias, que podem causar infecções nessa região, que já um ambiente propício a isso.

Ele é flexível e confortável. Claro, a primeira vez que você colocar, vai estranhar um pouco. Eu poderia dar uma aula aqui sobre como posicionar ele certinho e não ia adiantar. É só quando você colocar no seu corpo que você vai perceber o que funciona melhor pra você.

Os próprios fabricantes te ensinam como colocar no manual no usuário e não tem mistério.

O que você precisa prestar atenção na hora da compra é ao tamanho, que muda basicamente entre mulheres jovens que ainda não tiveram filhos e mulheres mais maduras que já foram mães e quanto a intensidade do seu fluxo.

Modo de usar

Imagem do site da Inciclo

O coletor menstrual é um copinho de uso interno, então para conseguir introduzir ele no lugar, você vai precisar dobrar. Existem algumas formas de dobrar e você só vai descobrir qual é mais confortável para você testando.

Além da dobra mais confortável, outra coisa que você vai precisar testar para descobrir é a localização mais confortável, que vai depender da altura do colo do seu útero e a anatomia do seu corpo. E como você descobre essa informação? Colocando onde ficar mais confortável uma vez e observando se continua confortável conforme você anda ou se movimenta e se tem algum vazamento.

A sua posição também pode facilitar ou dificultar a colocação do coletor. Eu já uso o meu há anos e percebi que a forma mais confortável para mim de inserir o coletor e perceber se ele está bem colocado é sentada no vaso sanitário.

Bom agora que seu coletor já está posicionado e sendo usado, você vai precisar esvazia-lo quando perceber que está cheio. E como você percebe que está cheio? Leve em consideração quanto tempo seu absorvente comum ou interno costumava aguentar. Se você precisava trocar a cada 3 horas nos dias de fluxo mais intenso, troque seu coletor a cada 3 horas também nos primeiros ciclos, até você se acostumar com o quanto ele aguenta.

Na hora de tirar o coletor para esvaziar, use o cabinho como um guia, e puxe com os dedos pelo fundo do coletor. Isso porque remover o coletor pode exigir que você dê uma puxadinha mais forte e o cabinho pode arrebentar nessa hora. Para facilitar ainda mais, faça uma forcinha como se fosse fazer xixi pra ele ir se movendo e facilitando a remoção. Se você estiver na mesma posição de inserir o coletor, sentada no vaso, pode ser mais fácil.

Dai é só despejar o conteúdo no vaso sanitário e dar descarga.

Lave seu coletor vazio na pia do banheiro e, quanto ele estiver limpinho, insira novamente.

“Ai que nojo! E o cheiro?”

Acredite, não tem cheiro ruim. Inclusive, eu fiquei surpresa porque sentia um cheiro um pouco desagradável sempre que ia trocar o absorvente descartável. Com o coletor, caso você chegue bem perto, vai sentir apenas o cheiro do sangue.

“E se eu estiver em um lugar público, como vou lavar antes de colocar de volta?”

Duas coisas: primeiro, cabines de banheiro para cadeirantes geralmente tem pia dentro, então, na ausência de um cadeirante, use ela. Segundo, a não ser que seu fluxo menstrual seja muito intenso, o coletor vai aguentar bem, sem vazamentos, por algumas horas. Você não vai precisar trocar com tanta frequência. Pode ser que ele dê conta do recado todo o tempo que você estiver fora de casa.

Mas como com qualquer coisa que nós estamos fazendo pela primeira vez, pode ser que no começo você perceba pequenos vazamentos, apenas pelo fato de você ainda estar se acostumado a posicionar ele no lugar certo. Se você achar que precisa usar um absorvente junto com o coletor menstrual nos primeiros ciclos, use. Faça o que te fizer sentir mais segura.

Como higienizar

Enquanto você está usando, vai passar uma água com sabonete na pia mesmo cada vez que esvaziar. Quando seu ciclo terminar, é recomendado que você ferva o coletor limpo por alguns minutos – verifique o tempo recomendado pelo fabricante – para uma limpeza mais profunda. O coletor menstrual não promove a proliferação de bactérias mas não é um esterilizador mágico de todas elas. Precisa de uma limpeza mais profunda a cada ciclo.

Quanto tempo posso ficar com um coletor?

Dá pra ficar com ele por um longo período de tempo. Cada marca tem suas especificações e, hoje em dia, existem várias marcas de coletores menstruais. O que eu tenho só precisa ser esvaziado e limpo a cada 12 horas.

Além disso, ele pode ter uma vida útil de até 10 anos, dependendo do fabricante.

Quando eu preciso tirar o coletor?

Só quando for esvaziar. Você não precisa tirar para usar o banheiro, nem para o número 1, nem para o número 2.

Você também pode usar o coletor durante a noite, para dormir o que para mim, salva vários pijamas e lençóis.

Dormir na posição que eu bem entender, entrar na água sem medo de ser feliz e usar a cor de roupa que eu quiser mesmo naqueles dias, além de me sentir mais limpa é maravilhoso.

Você, mulher, sabe do que eu estou falando. Eu tenho cólicas fortes, e nessas horas, a danada também quer escolher em que posição eu tenho que ficar, pra doer menos.

Poder ficar na posição que aliviar mais e pegar no sono sem me preocupar com prováveis acidentes depois da remedada , foi a melhor coisa que o coletor menstrual proporcionou para mim.

Se você passa por isso também, pode ser que, assim como eu, se apaixone pelo coletor.

Economia e sustentabilidade

Uma coisa é certa, você vai economizar muito substituindo o absorvente descartável que precisa ser comprado todo o mês pelo coletor menstrual.

Eu fiz as contas para o meu caso, logo que comprei, e obtive o seguinte:

  • Eu gasto aproximadamente R$10 por ciclo, entre absorventes convencionais e internos, levando em conta que sempre sobram algumas unidades nos pacotes do ciclo anterior.
  • Minha menstruação dura cerca de 5 dias mas meu ciclo mensal não é muito regrado, então, considerando uma média de 28 dias, tenho cerca de 13 ciclos por ano.
  • Meu coletor custou R$59,90 e tem uma vida útil de 5 anos ou 60 meses.
  • Então, em 6 meses, eu gastaria o mesmo, independente da minha escolha pelo absorvente descartável ou o coletor menstrual. Mas, pelos próximos 54 meses, não vou gastar um centavo. São cerca de R$540 que poderão destinados para outros fins.

E falando em sustentabilidade, usar um coletor menstrual com vida útil de 5 anos, para o meu caso, significa que eu vou deixar de produzir o lixo proveniente de cerca de 2 pacotes de absorventes, 13 vezes por ano, por 5 anos!

Então faça as contas, tanto financeiramente quando ecologicamente falando, e perceba a economia que o uso do coletor vai significar para você.

Ficou com alguma dúvida sobre o coletor menstrual? Deixa aqui nos comentários!

Gravidez, parto e amamentação

Quando eu engravidei, tinha planos e expectativas pra quando minha filha chegasse, como quem planeja uma viagem de férias. Um dos planos era ter um parto normal. Outro era amamentar no peito até os 7 ou 8 meses do meu bebê. Ia ser assim, porque eu ia fazer acontecer assim. Eu era flexível, sabia que as coisas poderiam acontecer de outra forma, mas, por outro lado, lá fundo achava que eu tinha o poder de decidir previamente como seria. Mal sabia eu que algumas coisas estão além do meu poder de decisão.

Pra começar, tive hiperemese gravídica e desenvolvi um certo grau de labirintite durante a gravidez. Fui afastada do trabalho, e mal conseguia tomar banho sozinha sem que minha pressão caísse, eu ficasse tonta e quase desmaiasse. Imagine como era quando precisava sair de casa! Isso durou a gravidez inteira. Foi um dos períodos de maior mal estar que passei na vida. A única coisa boa era saber que minha filha estava ali, saudável.

Cheguei nas 37 semanas de gravidez e, na consulta de rotina, soube que estava com 1 dedo de dilatação! Ieeei! O parto normal tava chegando! O que o meu médico disse foi o seguinte: “Vá ao hospital que você escolheu para o parto em uma semana. Vai ser feriado e eu estarei lá de plantão. Mas, pra irmos acompanhando seu desenvolvimento, vá em dois dias para fazer alguns exames.” No dia seguinte à consulta tive um pequeno sangramento, então liguei pro médico e adiantei a ida ao hospital. Passei o dia fazendo exames e a dilatação foi pra 3 dedos! Ieeeeeeei!

Ligaram pra o meu médico do hospital e ele me recomendou voltar ao consultório dele em 3 dias. Voltei, e estava tudo igual. A dilatação não aumentou e ele disse pra eu voltar no feriado, quando estaria com 38 semanas, conforme a recomendação inicial.

Chegou o feriado, levantamos cedo e fomos, sem malas nem nada, acreditando que seriam apenas mais exames de rotina. Ah, uma informação importante: quando eu estava com 34 semanas, mais ou menos, foi visto no ultrassom que meu líquido amniótico estava um pouco abaixo do esperado. A recomendação foi que eu tomasse bastante água. Tomei, o nível subiu no ultrassom seguinte e tudo parecia bem.

Pois bem, quando estávamos no hospital, na 38ª semana, feriadão, ultrassom indicou que o líquido tinha baixado de novo, muito. Ligaram pra o meu médico, ele estava no hospital fazendo outros partos e falou comigo no telefone: “Eu não gosto de esperar quando isso acontece, querida. O bebê pode estar em ‘sofrimento fetal’. Vamos fazer uma cesárea hoje?

Falei para o meu marido, olhamos no fundo dos olhos um do outro e o coração quase saiu pela boca! Era agora. Nossa filha ia nascer, e de cesárea.

Na hora do parto, meu médico viu que o líquido não estava baixo, estava seco! O timing dele foi perfeito.

Meu parto foi maravilhoso! Fotografamos tudo, os tios e avós estavam assistindo por uma janelona de vidro pelo lado de fora da sala de parto. Eu tinha muito medo da anestesia, mas acabou sendo uma das partes mais tranquilas do processo.

Maravilha, agora vamos amamentar!

Eu tinha bastante leite, vazava na roupa que era uma beleza e minha filha estava engordando bem.

Até que um belo dia, ela começou a chorar pra tudo. No banho, na troca de fraldas, antes e depois das mamadas.

Ela ficava cerca de uma hora no peito, demorava pra pegar no sono, dormia por mais ou menos uma hora e acordava de novo, chorando, pra mamar. Foram dois dias assim e eu achei que ia desmaiar de cansaço a qualquer momento.

Ficamos preocupados com ela, achando que ela tinha alguma dor ou algo que a incomodasse. Marcamos um encaixe no pediatra e quando ele bateu o olho nela, já soltou um “Nossa, cadê as bochechas da última consulta? Acho que ela emagreceu!”

Eu pensei que aquilo não era possível! Ela só mamava! O médico pesou minha pequena e ela tinha perdido 200gr. Ela tinha 1 mês e meio, tinha que estar engordando. O pediatra começou a perguntar sobre nossa rotina, como de costume, e quando falei como tinham sido os últimos 2 dias, ele bateu o martelo: o problema dela era fome! Por isso passava tanto tempo no peito numa frequência tão alta. A recomendação médica foi que eu continuasse dando o peito e complementasse a mamada com a fórmula, que compramos no mesmo dia.

Foi o paraíso na terra! Acabou a choradeira, dormia bem de novo, tudo estava como deveria ser.

Uma semana depois, meu leite secou. 1 mês e meio. Foi o quanto eu amamentei.

E eu, estava triste por que o parto não foi normal e meu leite secou cedo? Não! Graças aos céus existe a opção de fazer uma cesárea e tirar minha bebê antes que qualquer problema pudesse acontecer com ela! Deus abençoe o desenvolvedor das fórmulas infantis, porque, sem elas, minha filha não teria chegado aos 6 meses tão bem nutrida e engordando tão bem!

Liberte-se! Aceite o presente! Abrace a sua vida como ela é! Não dá pra mudar o passado, já está feito. O futuro ainda não existe na nossa realidade. Tudo o que temos é o agora, então, seja feliz agora!

Antes de ir embora, me conta aqui nos comentários se você já passou por alguma das situações que eu passei e como foi pra você.