Como manter a casa em ordem depois da organização

Mulher, organizar é uma coisa, arrumar é outra, já tinha pensado nisso?

Entender essa diferença vai te dar mais clareza para manter a ordem.

Vou te explicar a diferença com um exemplo prático.

Faz de conta que você tem uma cômoda de gavetas largas e compridas aí na sua casa e que você guarda a grande maioria das suas roupas nela.

Daí, você vai usar todos os conceitos de organização que aprendeu no ebook LIMPE E ORGANIZE SEM SURTAR para usar o espaço das suas gavetas de forma inteligente.

Você começa desapegando do que não faz mais sentido, o que já diminui o volume de peças e começa a facilitar a organização.

Daí você começa a pensar com que frequência usa cada peça para descobrir o que faz sentido estar nas gavetas mais baixas e o que é melhor estar nas gavetas de cima, dobra suas peças de tal forma que você consiga visualizar todas elas facilmente quando abre a gaveta, sem precisar mexer nas roupas e agrupa suas roupas por tipo.

Isso é organização: estudar o volume de coisas que você tem e o espaço disponível para que tudo fique visível acessível e cada espaço seja bem aproveitado.

Agora, continuando no nosso exemplo, sua cômoda está organizada e você está usando suas roupas.

Você tira elas do lugar, usa, lava, dobra e coloca de volta. Isso é arrumação: colocar as coisas de volta no lugar que já foi determinado para as cada coisa no processo de organização.

Ficou clara a diferença?

Existem muitas situações em que o processo de organização falha simplesmente porque ele não existe. O que tem sido feito, na verdade, é somente o processo de arrumação do dia a dia.

A organização é o que faz diferença e esse não é um processo que precisa acontecer com tanta frequência assim.

Então, para ajudar você a manter a cada mais arrumada no dia a dia, tenho 3 dicas.

Dica 1 – Comece pelo desapego

Quando a gente elimina aquilo que não faz mais parte da nossa vida mas estava fora de vista, a gente libera espaço para organizar melhor o que faz sentido ser mantido.

Dica 2 – Faça o processo de organização com calma

Existe uma dica básica para te ajudar a começar, olha só o que você pode fazer.

Distribua todas as suas coisas sobre a cama, agrupe por tipo e observe o volume de cada tipo X os espaços dos seus armários.

Em que parte do seu armário o volume total das suas camisetas, por exemplo, ficaria melhor acomodado? E o volume de meias? E o volume de calças? Organizar suas coisas vai ser como brincar de encaixa-encaixa.

Dica 3 – Se necessário, fotografe o resultado da sua organização

O que mais vai manter sua casa em ordem depois da organização é saber onde as coisas devem ficar e colocar de volta no lugar depois do uso.

Então, se no dia a dia as coisas saírem do lugar e você não lembrar onde tinha que colocar, recorra à foto do dia da organização.

Ver como tudo estava lindo e bem organizado também vai te dar mais motivação para manter daquele jeitinho no dia a dia.

Agora, me conta aqui nos comentários: qual é a baguncinha do dia a dia que mais te incomoda?

Um beijo e até semana que vem, mulher!

9 ideias para ter mais praticidade no dia a dia

E aí, pessoa que tá do outro lado da tela, tudo bem?

Hoje eu trouxe um post em formato de checklist para vocês. São 9 dicas simples que vão te mostrar como a forma como as coisas são feitas podem fazer toda a diferença na produtividade do seu dia a dia.

Essas dicas são baseadas em coisas que eu incorporei na rotina aqui de casa e que funcionaram muito bem para ajudar a gastar menos tempo com tarefas e liberar mais tempo para o que realmente importa.

É comum demais pra mim receber perguntas sobre como ter mais praticidade da hora de organizar. Pessoas dizendo que tem pouco tempo disponível, uma rotina corrida ou ainda horários totalmente flexíveis e nenhuma rotina mas que, como todos nós, querem manter a casa em ordem sem parar de dedicar o pouco tempo livre que tem para o que é importante para elas.

Então, se você se enquadra em algum dos perfis que eu citei e quer facilitar sua rotina de cuidados com a casa, as 9 dicas listadas abaixo são para você.

Então, confira as dicas abaixo e volta aqui no blog pra consultar elas de novo sempre que achar necessário.

9 dicas para te fazer ganhar mais tempo de forma natural no dia a dia

  1. Quando você tomar um copo de água, de café, de chá ou suco, passe uma água no copo na hora que terminar sua bebida e já coloque no escorredor. O mesmo serve para a colher que mexeu essas bebidas. Você vai ter menos louça pra lavar depois;
  2. Preparou uma refeição deliciosa que resolveu “agarrar” no fundo da panela, do refratário ou do prato? Coloque água nessa panela/refratário/prato assim que acabar de comer. Você não vai precisar dedicar tempo para o esfrega-esfrega quando for lavar essa louça;
  3. Está tomando um café enquanto mexe no computador e vai levantar para ir pegar uma água? Leve o copo de café com junto com você na hora de sair do cômodo. Esse hábito simples de sempre levar alguma coisa junto com você quando se desloca pela casa vai diminuir consideravelmente a quantidade de objetos fora do lugar no final do dia;
  4. Acordou pela manhã e fez seu pipi? Passe a escovinha no vaso sanitário logo depois de dar a descarga. Você pode usar um daquelas suportes para a escovinha do vaso sanitário e encher ela de desinfetante. Com a escovinha sempre mergulhada em desinfetante, esse hábito de escovar o vaso logo depois de usá-lo pela manhã vai deixar seu banheiro limpo e cheiroso por mais tempo;
  5. Chegou da rua? Tire os sapatos antes de entrar em casa. Você vai precisar varrer sua casa com menos freqüência porque a maior parte da sujeira não vai entrar em casa;
  6. Usou o último pacote de macarrão, a última caixa de leite, ou comeu a última bolacha do pacote? Anote que acabou. Assim, você vai começar a criar uma lista de mercado de forma natural que vai ser bem mais efetiva;
  7. Lavou e estendeu as roupas e elas já secaram? Só tire do varal na hora de dobrar e guardar. Você vai perceber que muitas roupas não precisarão ser passadas e vai ter um volume bem menor de peças da próxima vez que for passar. Inclusive, aqui em casa, eu sigo isso e não passo mais roupas;
  8. Você tem um carregador de celular portátil? Coloque-o na tomada assim que chegar em casa. Fazendo isso você vai garantir que ele sempre vai estar carregado quando você precisar sair;
  9. E por último – porque esse causa estranheza – esvazie sua bolsa ao chegar em casa. Tire tudo o que tem nela e veja o que realmente precisa ser colocado de volta para o dia seguinte. Você vai evitar deixar o guarda chuvas molhado, o pacote de bolachas aberto ou a coisinha que você comprou no caminho para casa esquecidos dentro da bolsa.

Essas dicas servem para te trazer mais tranquilidade e te ajudar a economizar tempo.
Se você criar o hábito de fazer isso todos os dias, no dia em que se esquecer, vai ser só por 1 dia. Vai ter só um dia de sujeira ou coisas fora do lugar. Só 1, sem acúmulo, sem excesso de coisas pra fazer.

Abraços e até semana que vem 😘

Como criar hábitos que facilitam sua rotina

Já quero começar este texto desmistificando uma coisa: rotinas não são chatas.

Eu sei que muita gente fica ouriçada na cadeira só de ouvir a palavra ROTINA por associar ela a um conjunto de coisas chatas que nos limitam e tiram toda espontaneidade da vida.

Mas é exatamente o contrário.

Criar uma rotina onde a gente tem horários e jeitinhos pré definidos de executar cada tarefa que precisa ser executada faz a gente economizar energia cerebral, ou seja, faz com que a gente não precise pensar, planejar e raciocinar cada vez que for repetir essas tarefas.

E você com certeza já tem várias rotinas pré definidas aí no seu dia a dia e nem se deu conta disso. Por exemplo, você precisa parar e pensar sobre como deve escovar seus dentes pela manhã? Provavelmente você simplesmente levanta da cama e vai indo em direção ao banheiro, sem nem perceber que está fazendo isso.

E essa tarefa rotineira, que já está no piloto automático, é o que te permite pensar em outras coisas importantes sobre o dia que vai começar enquanto escova os dentes.

Essa é a ideia de tomar as rédeas da situação e criar as tais rotinas de coisas que você quer melhorar no seu dia a dia, de tarefas que você gostaria muito de incluir na sua vida mas não tem conseguido: fazer com essas tarefas entrem no piloto automático também e te permitam parar de se preocupar com a execução delas.

Então, vou te explicar, com um passo a passo bem prático, como eu transformo tarefas que antes me faziam gastar muita massa cinzenta em rotina pra ajudar você a fazer isso também!

Vou usar como exemplo uma tarefa que eu consegui – finalmente! – colocar na minha rotina e que muita gente também quer começar a fazer: exercícios.

Passo 1: estude a viabilidade

Legal, você quer começar a se exercitar.

DICA EXTRA: existe um passo bem importante antes desse, o passo zero, que é ter um porquê bem forte, o suficiente pra te manter motivado. Por que você quer começar a se exercitar? Se a resposta pra essa pergunta não for algo que seja significativo pra você e só pra você, você vai acabar desistindo de transformar exercício em rotina mais cedo ou mais tarde. A razão pra continuar precisa ser mais forte do que a razão pra parar.

Encontrou seu porquê? Agora, vamos para a dica 1.

Que exercício você consegue fazer com frequência? Pra responder isso, você vai precisar levar algumas coisas importantes em consideração:

  • Qual a distância da sua casa para o locar onde você vai se exercitar?
  • Quanto tempo leva para executar essa atividade?
  • Em qual momento do dia você vai conseguir se dedicar a ela?
  • O que você gosta de fazer?

Quando eu respondi essas perguntas pra mim mesma eu finalmente consegui incluir uma rotina de exercícios na minha vida.

Pode me julgar se quiser, mas eu odeio malhar. Era um saco pra mim ir para a academia quando eu decidi fazer a imbecilidade de me matricular em uma. Nessa época, me deslocar até o local onde eu faria exercício se encaixava na minha rotina, eu ficava lá por cerca de 40 minutos, depois do expediente de trabalho e fazia sentido porque a resposta para cada uma das perguntas acima colocou a “malhação na academia” como a melhor opção na época.

Agora não dá mais. Eu trabalho em casa e tenho 2 filhas pequenas. A forma como eu estruturei todas as demais tarefas do meu dia a dia tem funcionado muito bem e sair para ir até uma academia seria uma escolha ruim tanto em questão de tempo quanto financeiramente.

Então, as respostas para as perguntas lá de cima mudaram conforme a vida mudou.

Hoje, no momento em que estou escrevendo esse post pra vocês, eu faço 30 minutos de bicicleta ergométrica seguido de agachamentos ou abdominais intercalados a cada dia na minha casa, todos os dias pela manhã, logo depois de tomar café da manhã.

Essa última frase é o gancho para o próximo passo.

Passo 2: associe a tarefa nova à uma tarefa velha

Ókei, tem um porquê bem forte, estou motivada, escolhi qual a modalidade de exercício que eu quero fazer e aonde vou fazer e tenho livre o período da manhã. Como eu posso vencer a procrastinação?

Fazendo associações. Escolha uma tarefa ou atividade que já é rotina, que já está no piloto automático, e comece a fazer a tarefa nova logo depois dela.

Usando o nosso exemplo como base, você pode fazer seus exercícios matinais logo depois de arrumar a cama. Ou então, como eu que acordo cheia de fome, logo depois de tomar café da manhã.

Acorda – usa o banheiro – arruma a cama – troca de roupa – faz exercício

ou então,

Acorda – usa o banheiro – toma café da manhã – troca de roupa – faz exercício

Sacou o lance da associação?

Quando você amarra uma tarefa na outra fica bem mais fácil de executar.

Sabe quando você sai de casa num sábado e acaba fazendo o caminho do trabalho sem perceber? Esse é um bom exemplo de associação. Se você sempre pega as chaves do carro e tira ele da garagem sozinho pela manhã, tem grandes chances de você fazer o trajeto dos dias úteis no sábado também.

Passo 3: anote

Escreva, digite, grave um audio, não importa a ferramenta que você vai usar, apenas garanta que você vai firmar um compromisso com você mesmo.

Ninguém precisa ver essa sua anotação, ela é sua, então solte sua criatividade e seja detalhista.

Pode parecer um passo bem bobo e até facilmente descartável, mas vai te ajudar a se manter firme.

Anote o seu porquê, anote as respostas para as perguntas do passo 2, anote como vai funcionar sua nova rotina e a quê ela vai ser associada para funcionar.

E, se quiser, anote a data em que você decidiu assumir esse compromisso com você mesmo também. No caso da rotina de exercícios, você pode até anexar uma foto sua atual. Vai ser bacana acessar essa informação de novo daqui 1 ano e ver o quanto você progrediu!

Aqui eu usei como exemplo “incluir os exercícios físicos na rotina” mas esses 3 passos servem para qualquer coisa que você esteja tentando colocar na rotina.

Mas preste bastante atenção agora, eu preciso frisar uma coisa 👇🏻

Escolha 1 rotina nova de cada vez.

Cada uma dessas rotinas vai usar esse passo a passo de 3 partes para se transformar em um HÁBITO.

E são os hábitos que constituem a nossa rotina funcional e simples de ser executada!

Espero que esse passo a passo te ajude tanto quanto me ajuda cada vez que u preciso incluir algo na minha rotina.

E pra te ajudar a se aprofundar ainda mais nesse assunto de criação de hábitos, eu tenho uma super indicação pra te fazer: o livro O PODER DO HÁBITO, de Charles Duhigg, uma leitura muito leve e gostosa que, além de explicar muito bem como os hábitos são formados, te prende nas historias reais incríveis descritas pelo autor.

Fotinho da época em que eu ainda tinha muitos livros físicos!

Você já leu esse livro? Me conta aqui nos comentários de qual história você mais gostou!

Como terminar as tarefas chatas mais rápido

E aí, pessoa que tá do outro lado da tela, tudo bem?

Se você já deu uma passada pela página HOME aqui do site ou me acompanha no Instagram e viu o meu perfil, já sabe que eu busco viver ao máximo uma vida com mais significado.

Sabe porquê?

Porque eu estava cansada de viver em função das férias e feriados. Tipo, “todo o dia eu faço coisas que eu não gosto, não consigo alcançar o equilíbrio entre minha vida pessoal, profissional e a maternidade mas tudo bem! No final de semana eu vou me divertir muito pra compensar.” Daí o final de semana chegava e a realidade é que eu precisava dedicar o sábado todo pra faxina e organização da casa.

WOOOW! Que vida é essa, gente?

É claro que todas as escolhas são muito pessoais, mas, para mim, esse estilo de vida não funcionava. Eu não estava feliz assim.

Ókei então, eu queria poder terminar cada dia – ao menos, o máximo de vezes possível – satisfeita com o dia em questão, sem precisar esperar pelos feriados para sentir que eu estava vivendo e não apenas sobrevivendo, mas tem coisas que precisam ser feitas, certo?

Não dava pra eu simplesmente eliminar a limpeza da casa da minha vida, eu iria viver em um lugar imundo e disfuncional. Eu consegui eliminar o dia da faxina do jeito que a gente conhece e eu conto tudo pra vocês nesse post aqui, mas pra eu alcançar o objetivo que eu queria, eu iria precisar buscar formas novas de fazer as coisas antigas pra que sobrasse tempo para as outras coisas, para os outros papéis que eu assumo na vida, para o tal do equilíbrio.

E essa foi uma forma de continuar fazendo as coisas que são necessárias no dia a dia, mas fazer o tempo render: contar com a ajuda de um timer.

Então, vem comigo que eu vou te contar como eu uso a ajuda do timer exatamente para essas tarefas inevitáveis de quem tem uma casa sob a sua responsabilidade: a limpeza e a organização.

O que eu percebi que mais tomava tempo na hora de cuidar da casa era o quanto eu me perdia nas tarefas. Faltava foco. Parecia que fazer faxina era tão chato pra mim que qualquer coisa era uma boa desculpa pra fazer uma pausa. Ou então, o outro extremo: eu acabava limpando, arrumando e organizando por horas e horas e fica bem paranóica no final do dia se alguém tira uma coisinha do lugar.

Quem nunca falou pelo menos uma vez na vida a frase “Eu acabei de limpar, dá pra deixar tudo no lugar?” não sabe o que é ter sua própria casa e ser o responsável por cuidar dela!

Então, fracionar essa faxina em pequenas tarefas e limitar o tempo que eu dedico para cada uma me da um senso de urgência e mais foco.

A ideia é a seguinte: programe o timer do seu celular para apitar dentro de 15 minutos e mãos á obra!

Antes de programar o timer, tenha em mãos tudo o que você vai precisar para limpar ou organizar a área que você escolheu.

Comece a tarefa assim que der o start no timer e apenas finalize o que ainda estiver na sua mão assim que o timer apitar depois de 15 minutos.

Simples assim.

Pode ser que 15 minutos não sejam o suficiente? Pode.

Pode ser que seja mais que o suficiente e ainda sobre bastante tempo? Também pode.

Então, observe a situação da região que você escolher limpar sempre que o timer apitar pra saber que ajustes precisam ser feitos para funcionar melhor da próxima vez.

Será que dá pra agrupar 2 tarefas que são mais rápidas de executar do que você tinha imaginado?

Será que é preciso dividir uma única tarefa em 2 ou 3 partes porque elas levam mais tempo do que você esperava?

Leve tudo isso em consideração.

O timer é um ótimo aliado para começar a construir sua rotina de cuidados com a casa diária, semanal e mensal.

Tenho 2 posts aqui no blog sobre rotinas, não se esqueça de dar uma olhadinha neles também clicando nos links abaixo ↓

Abraços e até semana que vem 😘

4 formas de usar o bicarbonato de sódio em casa

Você gosta de molho de tomate mais docinho ou mais salgadinho?

Eu gosto dele mais salgadinho mas me acostumei ao sabor mais docinho porque, para tirar a acidez, minha mãe costuma usar uma colherinha de açúcar na hora de preparar o molho de tomate.

Mas, recentemente, eu descobri que existe outro ingrediente capaz de tirar a acidez do molho de tomate que é tão fácil de encontrar e tão barato quanto o açúcar, além de deixar o sabor do molho de tomate bem salgadinho: o bicarbonato de sódio.

E se você já estava feliz com a ideia de usar o bicarbonato só para tirar a acidez do molho, tenho mais boas notícias.

O bicarbonato de sódio pode ser usado para vários outros fins então, além de te contar como usar para tirar a acidez do molho de tomate, vou te mostrar outras aplicações para ele. E claro, quem me acompanha a mais tempo já sabe, mas se você é novo por aqui, vou te contar: todas as dicas que eu dou pra vocês eu já testei aqui em casa e, algumas delas até fazem parte da minha rotina.

O uso do bicarbonato de sódio definitivamente faz parte da minha rotina então, chega de enrolação e vamos para as dicas de uso desse pózinho mágico!

Dica 1 – Bicarbonato de sódio para tirar a acidez do molho de tomate

Para os fãs do molho agridoce, continuem usando o açúcar que vai ser sucesso!

Para quem, assim como eu, prefere o sabor mais salgadinho, anota aí:

Comece a preparar o molho normalmente, do jeito que você já está acostumado a fazer. Quando a receita está quase no fim, antes de desligar o fogo para servir, coloque uma colher de chá de bicarbonato de sódio e misture bem, como se quisesse espalhar essa pequena quantidade de bicarbonato por todo o molho. O molho vai fazer uma espuma mesmo, não se preocupe porque é esperado que isso aconteça pois é assim que o bicarbonato age na acidez do molho. Em alguns segundos a espuma vai sumir e aí é só mexer mais uma vez e desligar o fogo.

Agora, preste atenção na proporção de bicarbonato de sódio para a quantidade de molho: essa medida de 1 colher de chá vai ser o suficiente para 1 caixinha de molho. Se aumentar a quantidade de molho, aumente a quantidade de bicarbonato. E claro, leve seu paladar em consideração. Se achar que o molho ainda está ácido, coloque uma pitada de bicarbonato a mais.

Dica 2 – Bicarbonato de sódio para limpar prata

Essa é uma dica sensacional que eu aprendi com a Flávia Ferrari da Dica do Dia e foi revolucionária.

Quando eu ainda namorava, usava aliança de compromisso, que era de prata. Além disso, sempre gostei mais de coisas prateadas do que douradas e as bijuterias acabavam ficando verdes em contato com a minha pele. Então, sempre tive acessórios de prata. E, quem tem algum objeto de prata sabe bem que prata fica preta com o tempo.

As minhas alianças e acessórios acabavam ficando também e a solução para isso era esfregar até perder a força nos braços para ainda assim, não conseguir limpar a parte preta das ranhuras das peças.

O bicarbonato de sódio faz mágica na hora de limpar cada cantinho das peças de prata!

Então, vai clicando para o lado para acompanhar o processo que eu fiz aqui em casa com alguns acessórios meus e rola para baixo para ver o passo a passo por escrito.

Você vai começar colocando água no fogo para ferver.

Enquanto isso, peque uma tigela de qualquer material que não seja plástico, afinal, a gente vai trabalhar com água bem quente e o plástico pode deformar.

Forre o interior desse recipiente que você escolheu com papel alumínio, deixando uma sobra nas laterais para fechar depois, como se fosse uma trouxinha.

Em seguida, coloque a peça de prata que você quer limpar dentro do papel alumínio, cubra com bicarbonato de sódio, despeje a água fervendo até deixar a peça submersa e feche a trouxinha!

Você vai deixar sua peça de prata de molho ali por cerca de 1 minuto. Com apenas alguns segundos de misturinha em ação você vai sentir um cheiro bem desagradável. Isso é sinal que a reação química que a gente está fazendo nessa peça de prata com o bicarbonato e a água quente está funcionando.

Depois de 1 minuto, abra a trouxinha com cuidado, tire a sua peça de lá com a ajuda de um garfo ou pegador porque vai estar quente e enxugue com um pano limpo.

Você vai perceber a mágica da limpeza com o bicarbonato de sódio!

Se a sua peça estava muito preta, só repita o processo quantas vezes for necessário.

Olha esse antes e depois!

Prontinho. Limpeza eficiente sem esfrega-esfrega.

Dica 3 – Bicarbonato de sódio para a lavagem mais pesada dos cabelos

Essa dica vai servir muito bem para as cacheadas.

E aqui vale dar uma informação prévia para vocês: eu tenho cabelos cacheados e utilizo a técnica LOW POO para cuidar das madeixas. Além disso, costumo lavar meus cabelos somente de 2 a 3 vezes por semana.

Agora, vamos para a dica. Você já parou para pensar na quantidade de produtos que a gente usa nos cabelos nos cuidados diários? É creme para pentear, mousse, óleos reparadores e por aí vai. Eu não uso tudo isso mas sei que cada cabelo é de um jeito e cada pessoa vai usar aquilo que funciona para o seu caso em particular.

Por isso, o cabelo pode ficar muito pesado e a simples lavagem com shampoo pode não ser o suficiente. E é aí que entra o bicarbonato de sódio.

MAS PRESTA ATENÇÃO! A minha dica é para que você use o bicarbonato apenas 1x na semana para fazer uma limpeza mais intensa, nada de substituir o shampoo completamente, combinado?

Então, apenas 1x na semana, eu faço uma lavagem mais pesada, a lavagem pré-hidratação, e é nela que uso o bicarbonato de sódio. Não tem mistério para essa lavagem. No banho, molho os cabelos e vou colocando pequenas quantidades de bicarbonato nos dedos e massageando o couro cabeludo e todo o comprimento dos cabelos. Aplico mais conforme julgar necessário e então enxáguo bem.  Os cabelos ficam bem limpos, com um produto natural e super barato.

Dica 4 – Bicarbonato de sódio para esfoliar a pele do rosto

A indicação para esse uso é de no máximo 3x por semana, ok? Eu coloco cerca de 1 colher de chá de bicarbonato nas mãos – a medida é no olho mesmo – , pingo algumas gotas de água para formar uma pasta e aplico no rosto fazendo uma massagem suave. Assim que acabar essa massagem, enxáguo bem.

O bicarbonato faz uma esfoliação suave e você vai sinto a pele limpa e macia ao finalizar essa esfoliação no rosto.

Essas foram as dicas para usar o bicarbonato de sódio como aliado para a limpeza aí na sua casa!

Agora me conta aqui nos comentários se você usa o bicarbonato para mais alguma coisa? Eu amo descobrir novos usos para esse pózinho!

Como usar o vinagre no lugar do amaciante

Hoje tem dica para quem quer economizar com os produtos que usa para cuidar das roupas sem perder nada em qualidade.

Hoje tem dica para quem quer uma substituição sustentável para 1 dos produtos de limpeza que usa.

Hoje tem dica curtinha, mas muito boa, minha gente!

Já tem algum tempo que eu substitui completamente uso do amaciante de roupas pelo vinagre de álcool e é isso que eu vou compartilhar com você hoje.

Eu já ouvi dizer que qualquer vinagre branco funciona, afinal, nessa categoria a gente encontra o vinagre de maçã, de vinho branco, de cereal de arroz – e por aí vai – e o que eu uso, o de álcool.

Todos funcionam? Bom, a única coisa que eu posso afirmar é que o de álcool funciona. Se você usa algum outro e funciona para você, já conta aqui pra galera nos comentários!

O vinagre de álcool é muito eficaz para tirar cheiros desagradáveis que são figurinha carimbada em toda a casa que tem animais de estimação ou crianças pequenas. Se assim como eu você tem ambos, os cheiros de xixi e vômito já te deixaram de cabelo em pé também!

Outra funcionalidade bem legal do vinagre para as roupas é amaciar toalhas. Sabe quando a toalha começa a perder aquele poder de absorção da água porque parece que os fiozinhos não estão mais tão felpudos? Pois é, o vinagre dá um jeito nisso.

Outro cheiro desagradável que some quando a gente usa vinagre como amaciante é o cheiro de cachorro das cobertas e caminhas ou de qualquer lugar que o seu amado pet resolva deitar quando o banho dele já está vencido.

E, como se não estivesse bom demais se livrar dos cheiros acima, o vinagre também tem o poder de eliminar os odores de suor que “agarram” nas roupas, como quando o maridão acabou de chegar depois de horas jogando futebol com os amigos.

Quando eu comecei a substituir o uso do amaciante pelo vinagre, foi aos poucos. Primeiro, usava apenas para essas peças que eu citei, que estavam com odores mais característicos.

Depois, acabei aderindo ao uso do vinagre de álcool para todas as lavagens e me adaptei muito bem.

Em relação ao quanto as peças ficam macias não há com o que se preocupar. O poder amaciante do vinagre é igualzinho ao do amaciante convencional.

Quanto ao cheiro do próprio vinagre, também não tem com o que se preocupar porque ele vai sumir junto com os cheiros desagradáveis. Não se preocupe em ficar com peças de roupa com cheiro de salada porque isso não vai acontecer.

O que muitas pessoas questionam é a ausência de perfume, porque elas gostam das roupas macias e perfumadas.

E para isso, minha recomendação é que você use óleos essenciais. Escolha a sua fragrância favorita e pingue cerca de 7 gotas junto com o vinagre no dispenser para amaciante da sua máquina de lavar.

Quanto a quantidade de vinagre, uso cerca de 150ml para minha máquina de 8kg na capacidade máxima de roupas.

Espero que você tenha gostado da dica, caso ainda não a conhecesse, e que você possa ter mais dinheiro livre para investir em outras coisas com a economia que vai ter ao substituir o amaciante por vinagre!

O que é e como usar um coletor menstrual

Vamos falar dela, a indesejável, aquela que atrapalha as idas à praia ou piscina, a intrometida que quer decidir que cor de roupa você tem que usar, a irritante que só te deixa dormir na posição que ela quer…

A menstruação.

Pois é, ela é chata e eu pessoalmente detesto ela, embora eu conheça pessoas que não ligam muito pra esse período do mês. Vim aqui te dar uma dica bem bacana, que funcionou muito bem pra mim e espero que também funcione pra você. É sobre o uso do coletor menstrual.

O coletor menstrual é um copinho feito em silicone medicinal, que você usa como se fosse um absorvente interno. Ele higiênico e fácil de colocar, e como eu uso, resolvi te contar alguns benefícios e dar algumas dicas sobre ele, caso você esteja pensando em adquirir um.

Vamos lá!

Material e especificações

Recapitulando, ele é feito de silicone medicinal, o que não promove a proliferação de bactérias, que podem causar infecções nessa região, que já um ambiente propício a isso.

Ele é flexível e confortável. Claro, a primeira vez que você colocar, vai estranhar um pouco. Eu poderia dar uma aula aqui sobre como posicionar ele certinho e não ia adiantar. É só quando você colocar no seu corpo que você vai perceber o que funciona melhor pra você.

Os próprios fabricantes te ensinam como colocar no manual no usuário e não tem mistério.

O que você precisa prestar atenção na hora da compra é ao tamanho, que muda basicamente entre mulheres jovens que ainda não tiveram filhos e mulheres mais maduras que já foram mães e quanto a intensidade do seu fluxo.

Modo de usar

Imagem do site da Inciclo

O coletor menstrual é um copinho de uso interno, então para conseguir introduzir ele no lugar, você vai precisar dobrar. Existem algumas formas de dobrar e você só vai descobrir qual é mais confortável para você testando.

Além da dobra mais confortável, outra coisa que você vai precisar testar para descobrir é a localização mais confortável, que vai depender da altura do colo do seu útero e a anatomia do seu corpo. E como você descobre essa informação? Colocando onde ficar mais confortável uma vez e observando se continua confortável conforme você anda ou se movimenta e se tem algum vazamento.

A sua posição também pode facilitar ou dificultar a colocação do coletor. Eu já uso o meu há anos e percebi que a forma mais confortável para mim de inserir o coletor e perceber se ele está bem colocado é sentada no vaso sanitário.

Bom agora que seu coletor já está posicionado e sendo usado, você vai precisar esvazia-lo quando perceber que está cheio. E como você percebe que está cheio? Leve em consideração quanto tempo seu absorvente comum ou interno costumava aguentar. Se você precisava trocar a cada 3 horas nos dias de fluxo mais intenso, troque seu coletor a cada 3 horas também nos primeiros ciclos, até você se acostumar com o quanto ele aguenta.

Na hora de tirar o coletor para esvaziar, use o cabinho como um guia, e puxe com os dedos pelo fundo do coletor. Isso porque remover o coletor pode exigir que você dê uma puxadinha mais forte e o cabinho pode arrebentar nessa hora. Para facilitar ainda mais, faça uma forcinha como se fosse fazer xixi pra ele ir se movendo e facilitando a remoção. Se você estiver na mesma posição de inserir o coletor, sentada no vaso, pode ser mais fácil.

Dai é só despejar o conteúdo no vaso sanitário e dar descarga.

Lave seu coletor vazio na pia do banheiro e, quanto ele estiver limpinho, insira novamente.

“Ai que nojo! E o cheiro?”

Acredite, não tem cheiro ruim. Inclusive, eu fiquei surpresa porque sentia um cheiro um pouco desagradável sempre que ia trocar o absorvente descartável. Com o coletor, caso você chegue bem perto, vai sentir apenas o cheiro do sangue.

“E se eu estiver em um lugar público, como vou lavar antes de colocar de volta?”

Duas coisas: primeiro, cabines de banheiro para cadeirantes geralmente tem pia dentro, então, na ausência de um cadeirante, use ela. Segundo, a não ser que seu fluxo menstrual seja muito intenso, o coletor vai aguentar bem, sem vazamentos, por algumas horas. Você não vai precisar trocar com tanta frequência. Pode ser que ele dê conta do recado todo o tempo que você estiver fora de casa.

Mas como com qualquer coisa que nós estamos fazendo pela primeira vez, pode ser que no começo você perceba pequenos vazamentos, apenas pelo fato de você ainda estar se acostumado a posicionar ele no lugar certo. Se você achar que precisa usar um absorvente junto com o coletor menstrual nos primeiros ciclos, use. Faça o que te fizer sentir mais segura.

Como higienizar

Enquanto você está usando, vai passar uma água com sabonete na pia mesmo cada vez que esvaziar. Quando seu ciclo terminar, é recomendado que você ferva o coletor limpo por alguns minutos – verifique o tempo recomendado pelo fabricante – para uma limpeza mais profunda. O coletor menstrual não promove a proliferação de bactérias mas não é um esterilizador mágico de todas elas. Precisa de uma limpeza mais profunda a cada ciclo.

Quanto tempo posso ficar com um coletor?

Dá pra ficar com ele por um longo período de tempo. Cada marca tem suas especificações e, hoje em dia, existem várias marcas de coletores menstruais. O que eu tenho só precisa ser esvaziado e limpo a cada 12 horas.

Além disso, ele pode ter uma vida útil de até 10 anos, dependendo do fabricante.

Quando eu preciso tirar o coletor?

Só quando for esvaziar. Você não precisa tirar para usar o banheiro, nem para o número 1, nem para o número 2.

Você também pode usar o coletor durante a noite, para dormir o que para mim, salva vários pijamas e lençóis.

Dormir na posição que eu bem entender, entrar na água sem medo de ser feliz e usar a cor de roupa que eu quiser mesmo naqueles dias, além de me sentir mais limpa é maravilhoso.

Você, mulher, sabe do que eu estou falando. Eu tenho cólicas fortes, e nessas horas, a danada também quer escolher em que posição eu tenho que ficar, pra doer menos.

Poder ficar na posição que aliviar mais e pegar no sono sem me preocupar com prováveis acidentes depois da remedada , foi a melhor coisa que o coletor menstrual proporcionou para mim.

Se você passa por isso também, pode ser que, assim como eu, se apaixone pelo coletor.

Economia e sustentabilidade

Uma coisa é certa, você vai economizar muito substituindo o absorvente descartável que precisa ser comprado todo o mês pelo coletor menstrual.

Eu fiz as contas para o meu caso, logo que comprei, e obtive o seguinte:

  • Eu gasto aproximadamente R$10 por ciclo, entre absorventes convencionais e internos, levando em conta que sempre sobram algumas unidades nos pacotes do ciclo anterior.
  • Minha menstruação dura cerca de 5 dias mas meu ciclo mensal não é muito regrado, então, considerando uma média de 28 dias, tenho cerca de 13 ciclos por ano.
  • Meu coletor custou R$59,90 e tem uma vida útil de 5 anos ou 60 meses.
  • Então, em 6 meses, eu gastaria o mesmo, independente da minha escolha pelo absorvente descartável ou o coletor menstrual. Mas, pelos próximos 54 meses, não vou gastar um centavo. São cerca de R$540 que poderão destinados para outros fins.

E falando em sustentabilidade, usar um coletor menstrual com vida útil de 5 anos, para o meu caso, significa que eu vou deixar de produzir o lixo proveniente de cerca de 2 pacotes de absorventes, 13 vezes por ano, por 5 anos!

Então faça as contas, tanto financeiramente quando ecologicamente falando, e perceba a economia que o uso do coletor vai significar para você.

Ficou com alguma dúvida sobre o coletor menstrual? Deixa aqui nos comentários!