Taxonomia na organização pessoal

E aí, pessoa que tá do outro lado da tela, tudo bem?

Eu sempre tive uma certa inclinação para o lado da organização. Desde pequena, organizava meus gibis da turma da Mônica por personagem da revistinha e minhas coisas de uso pessoal por tipo, e revisava essa organização sempre que eu achava necessário.

Eu gostava de fazer isso.

Mas é claro que eu não usava esse talento natural da melhor forma em todas as áreas da vida, afinal, pra usar um talento a gente precisa de conhecimentos e ferramentas específicos. Só vontade sem ação direcionada, não traz resultados.

Então, hoje, eu venho falar de um dos conhecimentos básicos sobre organização, que pode ser usado por meio de diversas ferramentas diferentes, o conceito de TAXONOMIA

Taxonomia é um sistema de categorização hierárquica que cria um mapa para que você rastreie seus arquivos e pastas – sejam eles digitais ou em papel – mais facilmente.

Complicou? Calma que eu simplifico.

Esse termo, que a gente está pegando emprestado da biologia e está trazendo para o mundo da organização, existe para categorizar e deixar o ato de localizar mais intuitivo. Olha a imagem abaixo:

taxonomia-blog-mila-bueno
Trecho do livro A Tríade do tempo

Qualquer semelhança com os mapas mentais, não é mera coincidência.

A ideia aqui é pensar de trás pra frente:

  1. Faça o processo de descarte no seu computador, dispositivos móveis e papelada e elimine tudo o que não faz mais parte da sua vida.
  2. Observe as coisas que você tem e agrupe por família – data, local ou qualquer outra que faça sentido para a sua realidade
  3. Dê um nome para cada família – que vai ser uma pasta ou um caderno no Evernote
  4. Então, observe quais famílias se relacionam e pertencem a mesma categoria, a nível hierárquico. Ex.: na imagem acima, ROCK e CLÁSSICOS são duas famílias que se relacionam o suficiente para pertencerem à categoria MÚSICAS. Se não aparecerem relações fáceis de serem identificadas por você, deixe as pastas soltas mesmo.

E é aí que vem 2 pontos importantes:

Primeiro, faça o que puder pra ter o mínimo de níveis hierárquicos possível. O objetivo é simplificar o acesso a cada pasta ou caderno, criando um mapa que seja fácil de seguir.

Segundo, use a mesma taxonomia no digital e na papelada. Para as mesmas famílias e as mesmas categorias, os mesmos nomes. Isso ajuda seu cérebro a te ajudar.

No Evernote, dá pra deixar o arquivamento ainda mais simples com a opção de usar etiquetas pra categorizar

Captou a ideia?

Espero que esse conceito facilite sua vida como facilita a minha, diariamente.

Ficou com alguma dúvida ou tem um jeitinho só seu de usar a taxonomia que pode ser uma dica bacana pra galera? Deixa aqui nos comentários!

Abraços e até semana que vem 😉

Publicado por Mila Bueno

E aí pessoa que tá do outro lado da tela, tudo bem com você? Eu sou a Mila Bueno, uma pessoa que vive um estilo de vida minimalista com a família e compartilha com vocês conteúdo sobre organização, minimalismo e autoconhecimento! Seja bem vind@!

2 comentários em “Taxonomia na organização pessoal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: